11 de dezembro de 2018

Foto do Mês: lançamento da Revista Raízes 58

Ontem, em mais um lançamento da revista Raízes, com os amigos Celso Vick, Nelson Albuquerque Jr, Ana Maria Guimarães Rocha e minha esposa Cris. Feliz da vida com mais um artigo incluído nesta que é uma das publicações históricas municipais mais relevantes do Brasil. Entre os destaques da edição, uma homenagem feita pelo meu amigo Renato Donisete ao querido Ameriquinha, time de futebol da várzea de São Caetano nos anos 60, um perfil de Canhotinho, instrumentista do maravilhoso grupo Demônios da Garoa e morador de São Caetano toda vida, e a reportagem especial sobre os governos e ações do ex-prefeito Walter Braido, que hoje dá nome à estação de trem de São Caetano. Além de outros artigos bem interessantes, a edição traz a tradicional seção Memória Fotográfica - uma das imagens, cedida pelo meu vizinho Wilson Drudi, traz foto de um dia de quermesse na paróquia Nossa Senhora Aparecida em São Caetano, tendo ao fundo a construção do imóvel que viraria nos anos 60 a famosa Panificadora Canoa. No meu artigo, homenageio minha querida turma de adolescência e mocidade, a Turma do Ponto, que pintou e bordou na região por quase toda a década de 80. O lançamento foi na USCS-centro e lotou o anfiteatro da universidade, tendo como momento mais emocionante da noite, a entrega da revista em mãos no palco para o lendário ex-atacante do America, João Dandov. ( foto: Celso Vick)

7 de dezembro de 2018

Capa do Mês: Grande Hotel de 1966/1967 - Irene Stefânia

Essa Grande Hotel do acervo do meu pai é bem peculiar. Com destaque para o belíssimo rosto da atriz Irene Stefânia, na época com 22 anos, o que me chamou a atenção além da modelo da capa foi o expediente, completamente confuso! A data do expediente, por exemplo, não bate com a chamada da capa: a data interior crava 17/01/1966, mas pelas matérias que trazem expectativas para o ano vindouro 1967, essa data está quase um ano defasada! Não dá pra ter certeza quando exatamente a revista saiu, por isso deixei os anos 1966/1967 no título. Pode ser que a data seja 17/12/1966 ou 17/01/1967, mas vamos deixar na dúvida. Pelo ano e número ( ano XX, nº 1015), pode-se arrumar isso quando aparecerem números anteriores ou posteriores da revista - aí eu coloco aqui nos comentários. Outra bagunça do expediente foi ainda mais grave (veja abaixo). Na hora de escrever o nome da modelo da capa, tascaram Irene Ravache!! No momento que eu vi, até me confundi, ficando surpreso com a diferença da Irene antes e agora, mas logo percebi que os olhos eram verdes e bem puxados, o que descarta os ângulos fisionômicos de Ravache. Fui pesquisar e pá: o primeiro nome está certo, mas se trata na verdade de Irene Stefânia, atriz que fez muito sucesso no cinema nos anos 60, participou de algumas novelas até o início dos 70, mas largou a carreira para virar terapeuta. Por essa discrição na vida, pouca gente soube que ela faleceu em janeiro de 2017, aos 72 anos. Fiquemos portanto com a capa, numa homenagem á essa atriz que passou pelo showbiss como um cometa.

5 de dezembro de 2018

Bernardo Bertolucci (1941-2018)

(divulgação) O versátil e competente diretor de cinema italiano, Bernardo Bertolucci, faleceu no último dia 26. Bertolucci, que foi poeta na juventude, iniciou sua carreira no cinema como assistente de produção de Pasolini, mas na sequência já estava fazendo suas próprias produções, o que lhe rendeu sucesso logo com o segundo filme, "Antes da Revolução". A partir daí, o que se viu foi um diretor que se dava bem em vários gêneros, paralelamente ao roteirista premiado - "Era Uma Vez no Oeste" (1967), de Sérgio Leone, teve roteiro seu. Seguiram: "O Conformista" (1970), indicado ao Oscar por roteiro adaptado; "Ultimo Tango em Paris", polêmico, tenso, denso e sua primeira obra-prima, além de colocá-lo novamente na concorrência do Oscar ( agora como diretor). A década ainda viu seus filmes "1900" e "La Luna" se destacarem - o primeiro, maior e mais ambicioso do que deveria, o segundo discreto e intimista demais - mas sem o redemoinho gerado pelo último tango. Mantendo sempre sua assinatura e marca autoral, Bertolucci se consagrou em 1987, quando "O Último Imperador" abocanhou 9 Oscars da academia (incluindo filme e diretor) - mais um filme seu que começava com "último" e acabava entre os "primeiros" ( desculpem a "tirada", mas não me segurei). A mão continuou boa: "O Céu que nos Protege" (1990); "O Pequeno Buda" (1993); "Beleza Roubada" (1996), "Assédio" (1998); "Paraíso e Inferno" (1999). No século presente, o diretor se aquietou e fez poucas produções, mas a esta altura já era considerado um dos grandes diretores da segunda metade do século XX.

4 de dezembro de 2018

Stephen Hillenburg (1961-2018)

No último dia 26, faleceu o criador de Bob Esponja, Stephen Hillenburg, diagnosticado com esclerose lateral amiotrófica. Se foi com apenas 57 anos e deixou um legado primoroso na história recente da animação. Bob Esponja, criado em 1984 ( Hillenburg dava aula de biologia até então) e seus amigos marítimos reativaram a ingenuidade e o "riso fácil" dos desenhos animados, unindo criatividade, colagens, fotografias, personagens bem delineados, enredos simples mas inteligentes, com foco nas amizades e nos defeitos/qualidades dos moradores da localidade denominada "Fenda do Biquini". Junte psicodelismo, besteirol, nonsense, músicas hilárias, e se tem um desenho que influenciou muitas das novas produções animadas e fez milhões de fãs em volta do globo. O resultado é essa consternação geral na internet, com homenagens emocionadas como esta acima ( fonte da imagem: ModernNotoriety - reprodução/divulgação)

3 de dezembro de 2018

Lançamento de O Judoka, por FHAF, no MIS ( 29/11)

(na foto acima, Franco de Rosa, eu, Francisco Ucha e FHAF) O lançamento do livro O Judoka, por FHAF, organizado pelo Francisco Ucha, rolou no dia 29/11 no MIS (conforme post anterior aqui no almanaque) e foi uma grande celebração! Preparado como um evento paralelo à mega exposição Quadrinhos, com curadoria do Ivan Freitas da Costa, o lançamento seria precedido por um bate papo com o organizador Francisco Ucha, o jornalista e editor Franco de Rosa, eu, o jornalista Paulo Gustavo Pereira, o publicitário e artista Luiz Saidenberg e o próprio FHAF, vindo diretamente do Rio ( de ônibus) com sua esposa. Mas por conta do tempo chuvoso, que fez com que o público atrasasse, o evento acabou sendo transferido do anfiteatro para a entrada do museu, onde já havia uma mesa com os livros e seus respectivos brindes dispostos para autógrafos. A mudança acabou deixando a noite menos formal e mais prazerosa, pois os amigos foram chegando aos poucos e os papos, fotos e autógrafos acabaram simultâneos. Milagrosamente cheguei com minha espoa e os filhos antes do horário previsto. Aproveitamos para tirar fotos em frente ao painel gigantesco da fachada de entrada, com personagens importantes dos quadrinhos em todos os tempos ( aguardem mais fotos em outro post, quando voltarmos para ver toda a exposição). Saidenberg avisou que não viria por causa de um resfriado intermitente e o Paulo Gustavo se atrasou em outro evento. Franco de Rosa chegou mais tarde, quando o hall de entrada já contava com a presença dos colecionadores Marcus Santana, Tony Martins, o "caçador de relíquias" Celso Comic Hunter, entre outros, além de uma divertida e entusiasmada roda com Henrique de Farias ( arte finalista que trabalhou na EBAL e chegou a colaborar em alguns números de O Judoka), Volney Faustini, e o advogado e verdadeira "enciclopédia" em assuntos ligados à televisão e rádio, Fabio Siqueira. FHAF e sua esposa Maria Carmen, estavam radiantes e o casal Francisco Ucha e Luciana Lanzillo também. E não era para menos: a noite foi inesquecível e emocionante, principalmente porque não é praxe no Brasil se homenagear um grande artista em vida. Valeu muito!
( Henrique de Farias, um amigo colecionador, Fabio Siqueira, FHAF, Maria Carmen, Volney Faustini, Francisco Ucha, Luciana Lazillo e Franco de Rosa)

29 de novembro de 2018

É hoje! O Judoka por FHAF no MIS

Hoje, a partir das 19h, no MIS, haverá um bate papo que antecederá o lançamento do livro O Judoka por FHAF, organizado pelo jornalista Francisco Ucha. A palestra acontece no anfiteatro do térreo e faz parte da programação da exposição Quadrinhos, que faz grande sucesso na cidade e segue até 2019. Além da presença do próprio autor, FHAF - Floriano Hermeto de Almeida Filho, o papo contará também com os artistas veteranos Luiz Saindenberg, Franco de Rosa, o jornalista Paulo Gustavo Pereira, eu e o organizador e mediador Francisco Ucha. Não percam!
http://www.mis-sp.org.br/programacao/21251d76-3d7a-4e7c-b1c2-5a140a8ba3e5/lancamento-o-judoka

27 de novembro de 2018

EBAL vendendo roupa! (Álbum Gigante 35 - Maio de 1951)

A EBAL ( Editora Brasil-América Ltda) em 1951 estava prestes a se tornar a maior editora de quadrinhos do Brasil, mas claramente tateava o mercado. Ainda não tinha revista do Batman (1953), do Zorro (1953) e do Popeye (1953), em seu portfólio, por exemplo, mas já havia se consolidado com revistas de sucesso, como O Herói ( desde 1947) Superman (1947 também) e Mindinho (1949). Tarzan iria aparecer no mesmo ano (1951). Já Álbum Gigante, o foco deste post, vinha desde 1949. Pois foi na contracapa de Álbum Gigante nº35, de maio de 1951, que foi publicado este surpreendente e intrigante anúncio de roupa por reembolso postal. Não tanto pela categoria de produto - a EBAL estava sempre em busca do público leitor feminino - mas por usar o próprio nome da editora para o modelo de roupa em questão ( Blue-Suéter EBAL-IT). Outro detalhe é o brinde dado para cada compra do tal suéter: uma edição de Rosalinda, revista da editora voltada para as mulheres e editada desde 1950. Ao que parece, o reembolso postal era a grande moda no início dos anos 50, mas mesmo assim, é bem inusitado constatar essa empreitada totalmente fora do "métier" da EBAL. Ah, outra coisa: se Li'l Abner (Ferdinando) não estivesse desde sempre na concorrência ( Globo), os "modelitos" roceiros das moças do anúncio bem que poderiam parecer chamariz para vender o personagem de "Brejo Seco".

26 de novembro de 2018

Capa(s) do Mês: livros didáticos da editora Saraiva (1975) com capas de Eugênio Colonnese

Esses dois livrinhos didáticos fazem parte do acervo do meu pai. Tempos em que alguns quadrinistas - como Rodolfo Zalla, Edu, Ivan Wasth Rodrigues, entre outros - ganhavam seu ganha pão nas editoras educativas como IBEP e Moderna, pois os quadrinhos, infelizmente, não lhes davam ganho suficiente para sustento. O mestre Eugênio Colonnese - que um dia vi na plataforma de trem de Utinga, próxima a minha casa, com sua pasta de desenhista e cigarro na boca - foi dos que abrilhantaram os livros escolares dos anos 70. Nas capas aqui publicadas, da Editora Saraiva, observa-se que o mestre também podia fazer ilustrações fora da sua zona de conforto, como no caso desses desenhos com linhas infantis. Interessante vê-lo nesse traço tão diferente, ele que era especialista em desenho realista, seja em grandes épicos e aventuras, seja em histórias de terror, que fazia muito bem ao lado de contemporâneos como Nico Rosso e o próprio Zalla.

24 de novembro de 2018

"Sonhei Que...", 11ª coletânea da Perse

Eis que surge mais uma coletânea da Perse, e para meu entusiasmo, fui selecionado mais uma vez! Dentro do tema "Sonhei que...", sugestionado por Davi Santana Sousa e com essa bela capa assinada por M.A Thompson (acima), a coletânea, 11ª da Perse, traz 53 textos selecionados - entre crônicas, contos e poesias - dentre 94 inscritos. Essa é a 5ª coletânea da editora em que eu apareço e sempre me sinto muito honrado, pois a Perse faz um excelente e criterioso trabalho de divulgação de novos autores. A poesia escolhida de minha autoria segue abaixo...

23 de novembro de 2018

Mestre Bimba ( 1899 -1974) é homenageado em doodle animado

Mestre Bimba, o homem que popularizou a arte da capoeira ao misturar elementos regionais à luta, é homenageado hoje pelo Google em seu 119º aniversário de nascimento. Um clique no doodle animado ( abaixo) que abre a página de busca leva à biografia do mestre.
https://www.google.com.br/search?q=Mestre+Bimba&oi=ddle&ct=mestre-bimbas-119th-birthday-4775644914253824-law&hl=pt-BR&kgmid=/m/03ts6g&source=doodle-ntp