19 de setembro de 2017

Goya na Caixa Cultural ( setembro de 2017)



No comecinho do mês fui à Caixa Cultural, local estratégico no centrão de São Paulo onde encontro o amigo João Buhrer em suas vindas esporádicas à capital. Enquanto o esperava, subi ao segundo andar para apreciar a fantástica exposição do mestre Francisco Goya (1746 - 1828). Sob curadoria de Mariza Bertoli, "Loucuras Anunciadas" traz 19 enigmáticas gravuras em pranchas realizadas em ´água-tinta, água-forte e ponta seca com brunidor, sobre chapas de cobre medindo 30,5 x 43,5 cm. Datadas entre 1815 e 1820, são as últimas obras gráficas de Goya, conhecidas posteriormente como "Pinturas Negras" e que anunciavam o ingresso do artista na arte contemporânea. Inicialmente eram 22 gravuras, que permaneceram inéditas até 1864, ano em que após passar por dois donos, foram vendidas para a Academia de Belas Artes de San Fernando, que acabou publicando sob o título "Provérbios", 18 gravuras da série em 360 exemplares As quatro gravuras restantes só apareceram na França em 1877, onde foram publicadas. Nesta exposição da Caixa aparece uma delas, a número 19, identificada como "Disparate da Besta". "Disparates" contém uma série de loucuras de difícil interpretação: violência , escárnio, visões oníricas, deboche ao regime vigente, críticas aos costumes e ao clero, sexo, e também prazer e júbilo. Um final fantástico, tétrico, transgressor, de um gênio da pintura.

Capa de um exemplar de "Los Proverbios" ( 1864)

















Não está na ordem, mas esta aqui é a citada nº 19







18 de setembro de 2017

O 2º FLIQ vem aí!


Neste próximo fim de semana rola o FLIQ - Festival Limeirense de Quadrinhos - capitaneado pelo intrépido Renato Frigo, um cara que quando se põe a fazer algo faz com propriedade, paixão e cuidado. Em outras palavras, mergulha fundo e costuma fazer bem feito! Assim foi com o grupo no Facebook "Colecionadores de HQs" ( onde o conheci há alguns anos), assim foi com os pioneiros leilões de quadrinhos nas redes sociais e assim foi com o site Colecionadores de HQs, onde tenho o privilégio de colaborar como colunista e eventual revisor. Essa 2ª edição do festival vem com um upgrade daqueles: se na inaugural foi naturalmente tímida, embora muito elogiada por quem foi e com palestras marcantes como a do Gonçalo Jr, , nessa dentição 2017 as atrações não param de pipocar nos posts-anúncios diários do Frigo ( vejam nos quadros e link da programação abaixo). Para acolher tanta gente criativa e empreendedora + o público, o evento mudou-se para as dependências da Faculdade de Administração e Artes de Limeira (FAAL) que fica na Av. Engenheiro Antonio Eugênio Lucatto, 2515 ( veja o mapa para chegar aqui: https://vemprofliq.wordpress.com/como-chegar/ ). Começa no sábado (23/09) a partir das 10h e segue no domingo ( 24/09) a partir das 11h. Eu devo aparecer lá no domingão e finalmente vou reencontrar o Renato Frigo, pois embora tenhamos uma relação de amizade que parece "de infância", só tivemos a oportunidade de nos vermos pessoalmente uma única vez - no já clássico "Festival Guia dos Quadrinhos" em São Paulo. Então que venha o 2º FLIQ! Promete muito!

p.s: o cartaz oficial do 2º FLIQ (lá em cima) foi criado pelo "inesgotável" Marcatti.















E mais, muito mais. Acompanhem no link e programação abaixo:

https://vemprofliq.wordpress.com/hall-dos-artistas/

https://vemprofliq.wordpress.com/programacao-oficial/


O evento acontece na FAAL - Faculdade de Administração e Artes de LimeiraAv. Engenheiro Antonio Eugênio Lucatto, 2515 - Vila Camargo - Limeira - São Paulo
> Mapa para chegar ao festival < 

Horário de funcionamento
23/09 - (sábado) 10:00–19:00
24/09 - (domingo) 11:00–18:00

15 de setembro de 2017

Capa do Mês: O Guri nª 3 ( ano XXII) março de 1961


Esta bela capa de O Guri tem a arte do ainda jovem Getulio Delphim ( nascido em 1938) que já passara pela O Globo/Rio Gráfica e Editora ( onde começou aos 15 anos no O Globo Juvenil)  Garimar, Outubro ( Capitão 7) La Selva e CETPA ( Aba Larga). Aos 23 anos, portanto, já tinha trabalhado bastante para os quadrinhos! Esta é a ultima fase de O Guri e traz histórias brasileiras de Charlie Chan - nesta edição, desenhos internos de José Geraldo ( que em breve fundaria a citada CETPA, Cooperativa Editora de Trabalhos Porto Alegre, iniciativa que arregimentou vários talentos nacionais em prol da nacionalização dos quadrinhos). Como curiosidade, incluo também a contracapa, com anúncio em quadrinhos do creme dental Eucalol.
Ah, e aproveito também para postar também o link do "Sábados da Memória" com a entrevista que Getulio Delphim fez em 2010 para o projeto e que está de volta na rede pela HQMix TV.




Entrevista Getulio Delphim:

https://www.youtube.com/watch?v=BWwOhnKx7II

13 de setembro de 2017

Revista Raízes nº 55 ( agosto de 2014) na íntegra


A página do Pró-Memória de São Caetano do Sul já disponibilizou em sua página a íntegra da última edição da revista Raízes, publicação semestral de História da cidade. Quem não conhece, vale a pena dar uma olhada, pois são poucos os municípios que podem contar com uma publicação desta envergadura, seja em número de páginas como em conteúdo. A edição de nº 55 ( agosto de 2017) vem recheada de boas matérias, a começar pelo especial de capa sobre os 300 anos do início da construção da Capela de São Caetano na antiga Fazenda do Tijucuçu, seguido de dois perfis emocionantes, um com a história do cineasta Aron Feldman, escrito pelo seu filho, o escritor e ator Claudio Feldman, e outro com a vida do músico Elpídio Moré, ativo na cidade até hoje, assinado pelo editor Caio Bruno. Há também o forte time do SAAD de 1975, visto pelo meu amigo Renato Donisete e o estudo acadêmico do qual eu participei com depoimento, idealizado por Mayra Oliveira, bacharel em Comunicação pela UMES. Há mais, muito mais...vejam no arquivo abaixo. Na página 61 começa a matéria que escrevi sobre a Carvoaria Flórida, que deixou neste ano seu tradicional endereço na Rua Flórida depois de décadas. Nessa empreitada, tive o privilégio de contar com a parceria de dois dos maiores fotógrafos da região, meus amigos Celso Vick e Vinicius Nakashima.

http://www.fpm.org.br/admin/imagens/raizes/raizes_055.pdf

11 de setembro de 2017

Achado 7: Livro de Monogrammas - 2ª edição ( s/d)

Esse item eu achei no meio de uma pilha de livros em uma caixa do São Judas, um lotado, aprazível e caótico sebo localizado no centro de Santo André. Só pelo seu tamanho, menor que a palma da mão, já dá para considerá-lo um achado e tanto. Mas ele é mais do que uma simples agulha no palheiro: é uma publicação que deixou de ter sua serventia e importância por conta da tecnologia e do progresso, mas que em sua época ( primeira metade do século XX) era o grande must das bordadeiras de plantão. Suas letras artísticas e estilizadas formando nomes, bichos e outras figuras chamativas para um belo bordado faz do livretinho um "flash" perfeito de seu tempo, em que os trabalhos manuais, artesanais e o cuidado com os detalhes artísticos e personalizados permeavam várias áreas, como a arquitetura, o design, as artes gráficas e a moda. Pela grafia ( "monogrammas") e estilo, acredito que a revistinha seja das décadas de 30 ou 40, mas é um chute de minha parte. Além dos monogramas propriamente ditos, há também em todo o conteúdo propagandas de remédios da empresa americana The Sidney Ross, pois o livreto é um brinde patrocinado pela própria.  Acima e abaixo, temos a publicação na íntegra, clicado pelo amigo João Antonio Buhrer. Ah, sim, ainda não tinha mencionado: doei esse item para o acervo do João ( "Os Arquivos Incríveis"), por saber que ele tem muito mais a ver com as séries e coleções de sua biblioteca. Em troca, ele me presenteou com peças surpreendentes, que em um futuro bem próximo, serão postadas por aqui.