16 de agosto de 2018

Aretha Franklin ( 1942 -2018)

A rainha do soul se foi. Uma das maiores vozes da música em todos os tempos, Aretha é daquelas que extrapolaram sua condição humana para levitar no éter da perfeição. Sempre que eu escutava sua música eu entrava em transe, êxtase, devoção. Ela estava muito doente e agora vai brilhar em algum canto do céu, estrela que sempre foi. Que Deus a proteja, Lady Aretha, e guarde sua voz em algum invólucro sagrado.
https://www.youtube.com/watch?v=J6dQ2Qi0r78

13 de agosto de 2018

Baú do Seu João 23: Radinhos de pilha ( anos 60)

Desde que me conheço por gente vejo meu pai com um radinho, seja ao seu lado, na mesinha de centro da sala ou - preferencialmente - no banheiro enquanto rola um banho básico. A presença do tradicional rádio de pilha faz parte do cotidiano de toda uma geração do pós guerra e meu pai não fugiu à regra: dia de jogo, prévias, a partida em si e o pós-jogo eram etapas sempre acompanhadas nas ondas médias do dial. Esse dois aparelhos que compartilho aqui, ambos Made in Japan, são de uma segunda fase do meu pai, já casado. Portanto são de meados e final dos anos 60. Da primeira fase, solteira, quando às vezes tinha que dividir o rádio com os irmãos ( o mais novo torcia para o mesmo time - Corinthians; o outro, mais velho que o primeiro, mas mais novo que meu pai, era torcedor da Portuguesa) infelizmente não teve aparelhos de rádio sobreviventes para contar a história. Desse primeiro rádio que trago aqui, menorzinho, não me lembro direito pois eu era muito pequeno, mas do velho Spica, esse sim, vi ativo em pelo menos três décadas, do começo dos 70 ao final dos 90. Nos últimos tempos só meu pai entendia aqueles ruídos e grunhidos que saíam de suas entranhas, mas mesmo roufenho, gaguejante e arfante, o veterano companheiro estava ali, firme ( que nem geleia) em todos os jogos do timão. Hoje em dia meu pai assiste jogo mais na televisão, mas continua com um radinho disponível para emergências ou banho fora de hora. E no seu velho Gol 86 há também um rádio à postos. E esse dois, embora não funcionem mais, permanecem como troféus para meu pai, de um tempo em que jogo de futebol, além de melhor jogado, era imaginado com as cores, os movimentos, a respiração e o coração de torcedores fieis colados em seus radinhos de pilha.

Visita de José Zinerman Nogueira ao ABC e entrevista ao "Histórias que me Contam"

Na semana passada tive o prazer de me encontrar com o chapa José Zinerman Nogueira que aproveitou sua vinda ao ABC para visitar o acervo em Santo André e também conhecer alguns sebos da região. Logo cedo, seguimos para o centro da cidade via estação de Utinga da CPTM e no caminho já paramos em um bazar popular onde encontramos algumas miniaturas e bonecos a preços irrisórios. Já no centrão de Santo André, passamos no tradicional "Mikei" - onde desde pequeno compro gibis e revistas - próximo à estação de Santo André e em seguida no bazar beneficente do Exército da Salvação. Foi neste último que o Nogueira achou e me mostrou a graphic novel do essencial artista Seymour Chwast, um item muito valorizado e que ali estava com preço popular. Na volta ainda tive tempo de participar da série "Histórias que me Contam", criada pelo Nogueira e que está bombando na rede. Contei aquela história que já postei aqui no blog sobre minha periclitante aquisição de um letreiro do Amigo da Onça com cerca de 2 metros de altura ( o link do vídeo aí embaixo). Depois das trocas de sacolas que sempre fazemos com itens colecionáveis, o grande José Nogueira partiu para outras aventuras, ele que é um dos caras que mais registram a cultura popular, a arte independente e o colecionismo em geral em São Paulo. Ah, como esse dia era o seu aniversário , presenteei-o com o LP de uma das bandas que estão em seu "top 10" entre todas: Stormbringer, do Deep Purple (1974), já na fase David Coverdale no vocal. Antes da despedida, fechamos as arestas para uma nova parceria no sempre entusiástico mundo dos zines. Aguardem mais detalhes em breve aqui./////////////////////////////// https://www.facebook.com/josenogueira.nogueira.5/posts/1800555396701575

9 de agosto de 2018

Encontro quixotesco em São Caetano

As terras de André, Bernardo e Caetano viraram antigas localidades da Mancha, de Aragão e da Catalunha: encontrei Carlão quixotesco (sem Sancho Pança) em meu caminho e tudo virou lenda, paródia, moinho.

João Carpalhau - homenagem do Bira Dantas

Fiquei sabendo da morte prematura do João Carpalhau, um gigante na luta pela sobrevivência do quadrinho brasileiro e logo em seguida vejo esta arte tão reveladora do caráter e da importância do João feita pelo Bira Dantas ( acima). Aproveito então para homenageá-lo também, compartilhando do Bira este seu desenho pertinente e deixando abaixo o link da notícia do seu falecimento no Universo HQ, assinado pelo Sidney Gusman. Carpalhau se vai com apenas 38 anos, mas deixa um legado imenso na Baixada Fluminense e arredores com seu trabalho lúdico, didático e educador, seja no Capa Comics ou na Gibiteca Adail José de Paula. Assim como o Sidão, tive o prazer de conhecê-lo na entrega do prêmio Angelo Agostini no Memorial da América Latina. Sua missão aqui deixou profundidade. Que onde estiver possa continuar a mudar a realidade a volta com seu dom artístico e agregador. ///// http://www.universohq.com/noticias/morreu-o-quadrinhista-joao-carpalhau/

6 de agosto de 2018

Encontro Anual de Carros Antigos de São Caetano

No final do mês de julho participei em parceria com o Ricardo "Rick and Roll" Martins de um dos maiores eventos da cidade: o Encontro Anual de Carros Antigos, realizado no Parque Chico Mendes. Eu já tinha visitado o evento em outros anos mas como expositor foi a primeira vez. Eu e o Rick resolvemos testar o formato "Vinil e Comics", acrescido de itens colecionáveis como pôsteres e miniaturas. Por ter sido a primeira vez podemos dizer que foi um sucesso. Não tínhamos itens reais de automobilismo, mas acabamos chamando a atenção de um público diferenciado, muitos desse grupo atentos à música e às artes e também outros tantos com menos poder aquisitivo. No fim, além de conversas produtivas e de grande aprendizado - uma delas com o grande Cachimbinho, grande expert em discos e selos da velha guarda - ainda tive o privilégio de encontrar pessoas que fizeram parte da minha juventude, caso da família Engelmann ( em peso) e os irmãos Marcão e Almir ( 5ª foto abaixo), e um inusitado encontro com um dos fundadores do Demônios da Garoa, grupo mais longevo do Brasil, o seu Antonio (Totó - 10ª foto abaixo), que estava no evento com seu filho e gentilmente posou ao meu lado em foto que reproduzo aqui.

3 de agosto de 2018

A arte dos azulejos em São Caetano e arredores

Já faz um certo tempo que iniciei um grupo no Facebook chamado "São Caetano Inesquecível". O intuito desde o início é trazer fatos e imagens da história da cidade e região, além de temas históricos pertinentes. A página fez sucesso de "prima" entre meus amigos e colegas e logo passava de 500 inscritos, com a inclusão dos amigos dos amigos e apreciadores da preservação e resgate histórico do ABC. Um dos assuntos que mais fazem sucesso lá é o levantamento de imagens dos inúmeros azulejos artísticos que ainda resistem em garagens e fachadas da região. Já foram incluídas várias fotos e muitas dicas de endereços já foram anotadas para futuros cliques. Esse é um tema que chama a atenção não só para as chamativas artes dos azulejos mas também pelo fato de que em meio a prédios, estacionamentos e casas reformadas e novas, essas obras de arte que permeavam a arquitetura em um passado próximo, hoje podem ser consideradas "em vias de extinção". Daí a importância desses cliques. Na sequência de fotos, alguns bons exemplos publicados na página com essas riquezas da arte urbana que vão resistindo à "modernidade". E fica o convite para quem quiser conhecer o grupo lá no FB e saber mais detalhes sobre essas fotos.

1 de agosto de 2018

Lançamento da Revista Raízes 57 ( 31-07-2018 - USCS)

Essa foto compartilhada da Ana Maria foi tirada ontem nas dependências da USCS, antigo IMES, instituição educacional de São Caetano que completa 50 anos e é artigo especial de capa da revista Raízes nº 57, cujo lançamento foi o que nos reuniu para o clique. Da esquerda para a direita: Ana Maria Guimarães Rocha, presidente das bibliotecas municipais de São Caetano do Sul e também presidente da APL ( Academia Popular de Letras, da qual faço parte), Carmem Sanches, escritora e produtora do coletivo Poesia in Cantos, Joao Alberto Tessarini, artista, responsável pelo Ateliê Pedagógico do Espaço Cultural Casa de Vidro, Renato Donisete, professor de educação física, especialista em fanzines e história do futebol no ABC, e meu pai João Massolini, grande incentivador cultural e histórico e dono da coleção completa de Raízes. Com bons amigos, também membros da APL, em mais uma edição memorável desta revista histórica que completa 30 anos em breve (é de julho de 1989)!

31 de julho de 2018

O surpreendente Paul

(divulgação) Não bastasse ser dado como morto nos anos 60 - em uma das mais elaboradas teorias conspiratórias feitas até hoje -; não bastasse ter levado toda a culpa( ao lado da Yoko) pela separação dos Beatles; não bastasse ter demorado para engrenar seus discos solos ( em comparação com os primeiros de George e John), embora hoje tenham sido reavaliados positivamente; não bastasse ter uma impressionante carreira de 56 anos recheada de sucessos em todas as décadas; Paul McCartney sempre vai surpreender de alguma maneira os fãs e a mídia. Não é de hoje que ele se deleita em aparecer em shows surpresas realizados em locais inusitados. Em 2013 anunciou horas antes no Times Square que iria tocar em cima de um caminhão no mesmo dia. Em 2016, participando do mega festival Desert Trip ao lado de dezenas de astros dos anos 60/70 ( e onde dividiu o palco com Neil Young), resolveu aparecer de supetão em um minúsculo bar chamado Pappy & Harriet e fez um caloroso show para 300 pessoas. Mas para este ano de 2018, em que lançará o disco Egypt Station, com lançamento programado para 07/09, o elétrico Macca, do alto dos seus 76 anos, realmente extrapolou: emocionou plateia e fãs em junho quando participou do programa "The Late Late Show with James Corden" no quadro "Carpool Karaoke" em que levou o apresentador para conhecer sua casa de infância, cantou trechos de clássicos no seu carro e fechou com chave de ouro com apresentação surpresa em um pub local onde os pedidos de música eram feitos em um jukebox. Agora no dia 26/07, uma quinta-feira, eis que Paul surge no lendário Cavern's Club em Liverpool, onde tudo realmente começou para os Beatles, e faz um show antológico e emocionante. Para estes concertos, geralmente o veterano músico avisa seus fãs pelo twitter algumas horas antes, o que foi o caso. Teve lágrimas, músicas inusitadas e até reclamações de Paul quanto ao número excessivo de celulares filmando. O novo Cavern foi construído no mesmo endereço do antigo estabelecimento, mantendo seus tijolos originais e alguns outros detalhes exclusivos. Já Paul, este é o mesmo de sempre. Podem enterrá-lo em fakes news, podem crucificá-lo por ser traidor dos Beatles, podem taxá-lo de workaholic e "homem de negócios", podem fazer o que for: ele continuará por aí, lançando discos, singles, produzindo e participando de discos de amigos, e claro... fazendo shows gigantescos em estádios e aparições surpresas em pubs e bares microscópicos. Esse é Paul McCartney...e sempre será. --------------------------------------- Segue o set list do show surpresa no Cavern Club: 1. Band Jam 2. Twenty Flight Rock (Eddie Cochran cover) 3. Magical Mystery Tour 4. Jet 5. All My Loving 6. Letting Go 7. Come On to Me 8. Let Me Roll It 9. I've Got a Feeling 10. My Valentine 11. Nineteen Hundred and Eighty-Five 12. Lady Madonna 13. In Spite of All the Danger (The Quarrymen) 14. Things We Said Today 15. Confidante 16. Love Me Do 17. Who Cares 18. Birthday 19. I Wanna Be Your Man 20. Fuh You 21. Get Back 22. Ob-La-Di, Ob-La-Da 23. Band on the Run 24. Hi, Hi, Hi 25. I Saw Her Standing There 26. Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band (Reprise) 27. Helter Skelter

30 de julho de 2018

Vinil & Comics na Coluna do Rick ( ABC Repórter 28-07-2018)

Enquanto o encontro anual de carros antigos em São Caetano bombava no sábado, 28, aniversário da cidade, e o nosso "stand" de comics e discos seguia firme no segundo dia do evento, o jornal ABC Repórter era distribuído á população com a coluna do Rick ( abaixo) divulgando o encontro e nossa parceria no evento. Num próximo post conto detalhes incríveis que rolaram nestes três dias de muito cansaço mas também muitas surpresas!

26 de julho de 2018

Vinil e comics no Encontro Anual de Carros Antigos de São Caetano

Neste fim de semana vou estar no Encontro de Carros Antigos no Parque Chico Mendes em São Caetano do Sul como expositor no mercado de pulgas. Vou levar muitos comics, gibis raros, livros, revistas, pôsteres, miniaturas, memorabilia e itens de colecionismo. Ao meu lado, o lendário Ricardo Martins Rick - "Rick and Roll", com seu vasto acervo de LPs e surpresas incríveis no local! Imperdível! Vai rolar até uma rifa de uma vitrola! Não percam! Mais detalhes no folder abaixo...

24 de julho de 2018

O Acervo Sorve: Revista Ler & Cia ( julho e agosto de 2018)

Uma grata surpresa esta revista que ganhei da minha querida sogra. Curitibana, "Ler & Cia"é produzida pela rede "Livrarias Curitiba" e "Livrarias Catarinense" e já está em sua 81ª edição. Além da capa vistosa com Os Incríveis, sua pauta principal, a revista traz boas matérias, como na série "Clássicos da Literatura" em que se analisa as obras do escritor e filósofo polonês Zygmunt Bauman, "Modernidade Líquida" e "Amor Líquido", lançadas em 1999 e 2003 respectivamente, que relatam questões contemporâneas do cotidiano; a edição também vem com três entrevistas bem interessantes: com o escritor curitibano Cristóvão Tezza; o historiador Leandro Karnal e o escritor Fabricio Carpinejar; de quebra, dicas de obras culturais ligadas à Guerra Fria. O veículo promoveu ainda o VIII Concurso de Contos e a edição publica um dos seis contos vencedores, "A Ceia", da recifense Sabrinna Alento Mourão. Eu sempre curti muito revistas "de livrarias" e é muito bom saber que algumas ainda resistem. Depois da "morte" da Revista da Saraiva, que religiosamente eu adquiria todo mês, e da falta de tempo para visitar a Livraria Cultura, que ainda mantém a pleno vapor sua ótima magazine, faz tempo que não caía em minhas mãos uma revista tão bacana e tão "substanciosa" desse nicho.