25 de julho de 2017

Dia do Escritor na homenagem da APL


Neste Dia do Escritor (25/07) me deparo na rede com essa bela imagem da Academia Popular de Letras ( São Caetano do Sul). Literatura, juventude, memória, biblioteca, paixão - tudo isso em uma foto só. E a APL, grupo literário do qual faço parte e tenho muito orgulho disto, existe justamente para amarrar e unir livros e emoções, seja em lançamentos tanto de novos como de tarimbados autores, saraus com muita arte, visitas ilustres de escritores, etc, etc. Vida longa à APL! E viva os escritores brasileiros, que seguram a peteca com muita criatividade!

24 de julho de 2017

Waldir Peres ( 1951-2017)


Morreu Waldir Peres, de um ataque fulminante do coração, neste fim de semana no interior de São Paulo. Foi um dos mais autênticos goleiros que vi jogar e sua atuação no final daquele Brasileiro de 1977 foi uma das cenas inesquecíveis que vi em meu auge como fã do futebol-arte, do alto de meus 10 anos. O goleiro vestia a camisa do São Paulo - time em que brilhou por mais de uma década - e nas cobranças dos pênaltis daquela final contra o Atlético-MG, espezinhou tanto os adversários, rindo na cara, jogando praga, cuspindo na bola e fazendo todo tipo de catimba possível, que não precisou defender uma cobrança sequer para ver seu time sagrar-se campeão. Waldir Peres era assim - sarrista, contador de histórias - mas também um ídolo legítimo para o São Paulo FC, onde foi campeoníssimo, e o goleiro titular daquela seleção brasileira de 1982, considerada uma das melhores de todos os tempos mesmo sem ganhar a Copa ( Waldir foi reserva nas Copas de 1974 e 1978). Passou pelo meu time Corínthians também, nos anos 80, além de outros times, até encerrar a carreira na Ponte Preta, o time que o acolheu em início de carreira e que fez o São Paulo se interessar logo pelo seu passe. Nos anos 90, tive o prazer de conhecê-lo pessoalmente no Dedoc-Abril quando ele foi ao setor a procura de fotos suas para um livro e eu o atendi. O mesmo sorriso e simpatia que eu via nas fotos da revista Placar no correr dos anos 70/80 estavam ali, ao vivo. Waldir Peres vai fazer falta.

21 de julho de 2017

Coletânea "A Natureza Será Bela!?"


Acabei de receber um e-mail da Editora Perse informando que uma poesia minha foi selecionada para participar da coletânea do projeto Apparere intitulada " A Natureza Será Bela!?, com textos ( poesias, haikais, contos, crônicas, etc) direcionados para o tema "meio-ambiente", seguindo uma visão mais crítica, poética ou filosófica. Foram 56 melhores textos dentre mais de 90 enviados. A obra, inicialmente em formato digital, será lançada no dia 07 de agosto na página do projeto (  http://www.apparere.com.br/ ). A capa acima, votada pelos selecionados, foi feita pelo André Luiz de Vasconcelos Silva.

19 de julho de 2017

Poesia do mês: Conta

Na semana, postei várias poesias de minha lavra no Facebook e uma das mais curtidas foi essa abaixo, "Conta". Publicada no meu livro "Aura de Heróis", que ainda pode ser encontrado no Amazon ( por uns 10 pilas) ou diretamente comigo no marcosmassolini@uol.com.br.

Conta

Contei carneiros
e encarnei
contei camelos
cambaleei
contei cordeiros
e acordei
contei dromedários
e dormi
contei estrelas
estremeci
contei planetas
e planejei
contei as sombras
e me assombrei
contei os peixes
e despachei
contei concertos
e aconteci
contei cometas
e não comentei
contei as luzes
e alucinei
contei os discos
desconversei
contei as pétalas
empalideci
contei as rimas
e me arremessei
contei as conchas
e cochilei
contei continentes
descontinuei

17 de julho de 2017

Editora Unesp disponibiliza dezoito e-books para download gratuito



A Unesp, sob o selo Cultura Acadêmica, disponibiliza gratuitamente desde o final de junho, dezoito livros digitais frutos da parceria entre a Pós-Graduação da universidade e a Fundação Editora da Unesp. As obras, da coleção Propg-Digital, abrangem diversas áreas do conhecimento, das Artes à História, da Filosofia e Psicologia à Comunicação, Ciências Sociais e Estudos Literários, passando também pela Geografia, Letras e Linguística. Os títulos estão disponíveis no site da Cultura Acadêmica, dentro da catálogo da editora, aqui: http://culturaacademica.com.br/colecoes.asp?col_id=16

Confira abaixo, por áreas, os títulos publicados:
Artes
Título: É um livro…? Mediações e leituras possíveis 
Autor: Camila Feltre – IA – São Paulo
Título: Mediação cultural em museus e exposições de história: Conversas sobre imagens/história e suas interpretações 
Autor: Valéria Peixoto de Alencar – IA – São Paulo
Ciência da Informação
Título: A mediação da informação na teoria arquivística 
Autor: Mariana Lousada – FC – Marília
Título: Exclusão digital: Discurso e poder sobre a tecnologia da informação 
Autor: Cristian Berrio-Zapata e Ricardo César Gonçalves Sant’Anna – FC – Marília
Ciências da Motricidade
Título: Políticas docentes de formação de professores no estágio supervisionado Colômbia, Brasil, Argentina e Chile
Autor: Carlos Federico Ayala Zuluaga, Samuel de Souza Neto e Tadeu Laochite – IB – Rio Claro
Ciências Sociais
Título: Do perigo ao risco: A gestão e o controle da juventude no sistema socioeducativo de São Paulo 
Autor: Joana D’Arc Teixeira – FC – Marília
Comunicação
Título: #descontent@mento: O que comunicam os protestos brasileiros de 2013 
Autor: Claudio Bertolli Filho e Vinícius Martins Carrasco de Oliveira – FC – Bauru
Educação
Título: Em defesa da escola pública: O fórum de educação na constituinte e o princípio da gestão democrática no ensino público 
Autor: Camila Pinheiro – FC – Marília
Título: Uma arqueologia do ensino de filosofia no Brasil: Formação discursiva na produção acadêmica de 1930 a 1968
Autor: Tiago Bretam Perencini – FC – Marília
Estudos Literários
Título: Absurdo e censura no teatro português: A produção dramatúrgica de Helder Prista Monteiro (1959-1972)
Autor: Márcia Regina Rodrigues – FCL – Araraquara
Título: O esquecido de si, Dante Milano: Rastros de uma poética do esquecimento
Autor: Márcia Regina Rodrigues – FCL – Araraquara
Geografia
Título: Territórios, multiterritorialidades e memórias dos povos Guarani e Kaiowá: Diferenças geográficas e as lutas pela des-colonização na reserva indígenas e nos acampamentos – Tehoka – Dourados (MS)
Autor: Juliana Grasiéli Bueno Mota – FCT – Presidente Prudente
Título: A produção imobiliária e a reestruturação das cidades médias: Londrina e Maringá (PR) 
Autor: Wagner Vinícius Amorim – FCT – Presidente Prudente
História
Título: Biografia e história em Raimundo Magalhães Junior: Narrativas de panteonização e iconoclastia 
Autor: João Muniz Junior – FCL – Assis
Letras
Título: Inglês de Souza: Imprensa, literatura e realismo 
Autor: Marcela Ferreira – FCL – Assis
Linguística
Título: Análise fonológica de nomes próprios de origem estrangeira e novas criações em português brasileiro 
Autor: Natália Zaninetti Macedo – FCL – Araraquara
Título: Brasil, Moçambique e Angola: Desvendando relações sociolinguísticas pelo prisma das formas de tratamento
Autor: Sabrina Rodrigues Garcia Balsalobre – FCL – Araraquara
Psicologia
Título: O discurso do humor politicamente incorreto no mundo contemporâneo 
Autor: Mateus Pranzetti Paul Gruda – FCL – Assis

6 de julho de 2017

O Gênio do Crime: um best-seller de quase 50 anos

O livro "O Gênio do Crime", lançado em 1969, foi o primeiro livro de João Carlos Marinho. Desde então, a obra se tornou referência inconteste da literatura infanto-juvenil brasileira e um sucesso editorial com mais de 1 milhão de exemplares vendidos em 62 edições. A Editora Global, que lançou a maioria dessas 62 edições - antes o livro passou pela Obelisco e Círculo do Livro, além de ter circulado em formato bolso pela Ediouro - produziu em 2014 esse vídeo acima, em que o autor conta sobre sua obra máxima, entremeando a conversa com um pouco de futebol, Monteiro Lobato e considerações sobre o porquê da afinidade retumbante entre os jovens e o entusiasmo acerca de "O Gênio do Crime". Vários livros vieram na carreira de Marinho, incluindo outras aventuras com a Turma do Gordo, protagonista de "O Gênio do Crime"; todas elas merecem uma lida, por manterem a qualidade literária da obra precursora, mas uma mágica única, um tempero na medida, ou como o próprio Marinho comenta no vídeo, "vida" além de qualquer outra coisa, faz de "O Gênio do Crime" uma das obras mais comentadas e adoradas da nossa literatura infanto-juvenil.




4 de julho de 2017

Pedreira/SP - História e memorabilia


No fim de semana fui com a family ( além da esposa e filhos, fomos com meu cunhado, cunhada e sobrinho, anfitriões que conheciam bem a cidade) na surpreendente Pedreira, no interior de São Paulo ( na macrorregião de Campinas). O município,  fundado em 1896 e vizinho da bonita Jaguariúna, sempre foi um polo do porcelanato - indústrias históricas deste setor, como Nadir Figueiredo, possuem sede e loja de fábrica na cidade - mas nos últimos anos tornou-se também a meca dos artesãos e artistas especializados em MDF ( placa de madeira fabricada com resinas sintéticas) voltados para a arte retrô, arte pop e memorabilia em geral. O resultado se vê logo na entrada da cidade: fila de carros e lojas apinhadas de gente. Pelo que meu cunhado já tinha me adiantado, eu já esperava uma grande sequência de lojas especializadas em pôsteres, canecas, decoração e colecionismo, mas a grande surpresa para mim foi o grande número de itens históricos e antiguidades - a grande maioria invedável - em meio aos produtos à venda nas lojas. Essa particularidade local, acrescida de detalhes arquitetônicos e preservação memorialista, me surpreendeu deveras e comprovou o respeito profundo que Pedreira tem pela sua própria História. Lucrar com o turismo e o comércio sim, faz parte, mas com muita ternura e comprometimento. Nas fotos abaixo, uma mescla de tudo isso ( a foto principal é uma ampliação da mini-carranca "soldadinho" em metal que segura a veneziana de um dos inúmeros casarões de época da cidade).