30 de março de 2016

Capa(s) do Mês: Mad - edições com o tema quadrinhos na capa

A MAD brasileira sempre gostou de focar suas paródias na mídia em geral ( TV e Cinema principalmente) e as Histórias em Quadrinhos não poderiam ficar de fora. Selecionei quatro significativas capas com esse mote, todas da primeira fase da revista no Brasil, pela Editora Vecchi, com edição do Ota.



28 de março de 2016

Casamento civil dos meus avós - 02/01/1935


Olhem que maravilha: jogando como quem não quer nada o nome do meu avô materno, Ricardo Pareja Marigo na busca do Google, eis que me saiu de cara o casamento dele no civil, em 02/01/1935 em documento emitido pelo cartório do "Districto do Belemzinho" expedido pelo "official" Jarbas Tupinambá de Oliveira. Esse documento saiu no "Diário Official do Estado de S.Paulo" do dia 10/01/1935 e traz nomes dos pais, idades ( 24 e 27 anos!) e endereço da residência tanto do meu vô Ricardo como de minha vó Maria. Mais detalhes na imagem acima do documento histórico. Incrivel!

24 de março de 2016

Documentário sobre o Clube da Esquina e Milton Nascimento na Trip TV

Pra relembrar um dos mais importantes movimentos da nossa música, o "Clube da Esquina", dois vídeos bem interessantes. O documentário "Sobre Amigos e Canções" foi feito na raça por duas estudantes de comunicação da PUC/SP ( trabalho final do curso de jornalismo) e ficou tão desenvolto e preciso que acabou passando na TV Cultura e em vários festivais por aí. Integrantes do grupo como Milton Nascimento, Lô Borges, Márcio Borges, Toninho Horta, Wagner Tiso e Fernando Brant ( recém falecido) relembram a trajetória do clube, desde a infância e juventude de Milton ( onde integrou o W'Boys com Tiso), passando pelos tempos do edifício Levy em Belo Horizonte ( onde moraram os Borges, família de proa dessa movimentação toda) e culminando na série de discos dos anos 70 ( incluindo os dois "Clube da Esquina") que mexeram com o público, os críticos e principalmente a classe de músicos, no Brasil e lá fora. O filme é amador sim, mas captura os músicos com grande naturalidade, sem invencionices técnicas, o que conta muito ponto no resultado final.

Já a mini-entrevista de Milton na TV Trip é recentíssima e traz o compositor mais ativo do que nunca, relembrando a infância, bons momentos da carreira de 50 anos ( e sua empatia total com Elis) e falando sobre sua timidez e sobre o Brasil. O papo é rápido, mas captura Milton no presente.

O documentário: https://www.youtube.com/watch?v=SACaczm6gA4 

A entrevista na TV Trip: http://revistatrip.uol.com.br/trip-tv/com-50-anos-de-carreira-milton-nascimento-relembra-trajetoria-na-musica

23 de março de 2016

Chico César em São Caetano!

Fui com a patota conferir o show "Estado de Poesia" de Chico Cesar e banda no teatro Santos Dumont em São Caetano ( essas apresentações via Sesc são uma mão na roda em tempos de crise). Curti demais! Chico César continua afiadíssimo em sua poesia ligeira, isso eu já sabia, mas como instrumentista ele me surpreendeu muito: sua interação com a guitarra chega a momentos de puro estado meditativo! Além do que, é um artista que ainda preza o solo clássico de guitarra, sem firulas desnecessárias, mas com nuances enriquecedoras e pungentes que só enriquecem a canção. A banda ( baixo/bateria/teclado/acordeon) acompanhou de igual para igual a performance matadora de Chico, que transpôs para o palco o último CD homônimo na íntegra. Uma ou outra conhecida acabou entrando no set (" Mama Africa", claro, e a arrebatadora "Pensar em Você"), mas o foco era mesmo o último trabalho, que mantém a qualidade dos anteriores e traz o compositor inspirado - percebe-se experimentações instrumentais arrojadas, letras bem costuradas e algumas conduções que lembram Gil/Expresso 2222 e Caetano/Barra 69. O disco, lançado em 2015 tem frevo, forró, rock, reggae - até samba a la Adoniran Barbosa - e essa diversidade transpareceu no palco, com peso, entrosamento e um gosto em tocar que rendeu a plateia ávida por hits.




22 de março de 2016

Vale a pena ver sempre: documentário de Leon Hirszman sobre Nelson Cavaquinho (1969)


Leon Hirszman  era considerado entre os próprios cineastas do grupo do Cinema Novo como um dos mais completos do movimento. Leon tinha ângulos inusitados, sensibilidade, punch, intimidade com luz e sombras, e não tinha medo de arriscar. Quando fazia documentários em curta metragem, como esse do grande Nelson Cavaquinho, aí que não tinha pra ninguém: a visão social e seus meandros, sob a lente p&b de Hirszman trazia contornos crus e ao mesmo tempo comoventes, da simplicidade da comunidade ao redor e o detalhe da gota de suór pingando da testa sofrida de Nelson ( aqui com 59 anos) ao fremente zoom nas cordas do violão torto do mestre, capturando com maestria os desvãos boêmios e a profundidade de um homem genial e comum.

18 de março de 2016

Drift Away - pérola "não oficial" com o carimbo de qualidade dos Stones

Drift Away - Essa pérola escondida dos Stones é cover da música escrita por Mentor Williams, conhecida na gravação de Dobie Gray ( e também de Rod Stewart). Fez parte das gravações para o disco "It's Only Rock and Roll" (1974) mas acabou não entrando. Os Stones tem dessas: takes alternativos e gravações descartadas às vezes ficam no mesmo nível do material "oficial".

https://www.youtube.com/watch?v=sVhLe8sqGj0

Popeye Clássico!

Ota Assunção mandando ver na edição, com o novo volume de Popeye pela Editora Pixel - "Popeye Clássico - Histórias dos Primeiros Gibis por Bud Sagendorf". Pra quem coleciona clássicos como eu, esses lançamentos em bancas são um legítimo oásis!

17 de março de 2016

Nhô Quim, mascote do XV de Piracicaba

Pra quem quer saber mais sobre, Nhô Quim,  mascote do XV de Piracicaba de SP, que foi citado no post anterior, sugiro a leitura desse pequeno mas completo perfil escrito pelo colega Edson Rontani Jr., publicado na página oficial do time. De quebra, também uma justa homenagem à memória de seu pai, Edson Rontani, pioneiro do fanzine brasileiro e que muito fez pelas artes gráficas no país.

http://www.xvpiracicaba.com.br/mascote/

Revista "Língua Portuguesa - Conhecimento Prático" tem edição especial sobre quadrinhos


Ontem encontrei na banca de jornais essa surpreendente edição da revista "Língua Portuguesa - Conhecimento Prático", da Editora Escala, inteiramente dedicada ao assunto História em Quadrinhos. Focando em vários ângulos da nona arte, desde a sua cronologia até momentos cruciais em sua história no Brasil, passando por análises mais acadêmicas como as diferenças entre cartum, tira e charge, a utilização dos quadrinhos em salas de aula e um perfil das revistas brasileiras de humor, a edição está bem dinâmica e ilustrada e inclui também uma boa entrevista com o Mauricio de Sousa. Entre os autores dos artigos, Franco de Rosa ( que escreve sobre a editora Grafipar), Paulo Ramos ( do Blog dos Quadrinhos), professor Valdomiro Vergueiro, entre outros. Detalhe curioso é a presença na capa, entre personagens clássicos, da personagem Maria Erótica ( criada por Claudio Seto na virada dos 60 para os 70 e como seu nome diz, voltada para o universo erótico - no caso, com muito humor) e Nhô Quim, mascote do XV de Piracicaba criado em 1948 e mais conhecido no traço de Edson Rontani. Uma edição para ler e guardar como referência.


16 de março de 2016

"Glória in Excelsior" na íntegra, no site da Coleção Aplauso


A dica é do mestre Álvaro de Moya: seu essencial livro "Glória in Excelsior - Ascensão, Apogeu e Queda do Maior Sucesso da Televisão Brasileira" está disponível para leitura integral na página da Coleção Aplauso da Imprensa Oficial. Ele deu o toque quando comentei que de todos os livros que ele escreveu - de "Shazam!"(1970), clássico que eu adoro, até "A Reinvenção dos Quadrinhos" (2012) - eu só não tinha esse "Glória in Excelsior". Aliás, o próprio Moya tem ele e o pioneiro Shazam! como preferidos dentro da sua bibliografia. A obra traz um painel completo da emissora Excelsior, com análises e perfis dos programas de sua grade e histórias de bastidores. O ângulo favorece: Moya foi diretor da emissora por anos, onde criou conceitos e ideias revolucionárias para a então ascendente TV e que de uma forma ou de outra resistem ainda hoje. Leitura obrigatória.

http://aplauso.imprensaoficial.com.br/livro-interna.php?iEdicaoID=49

15 de março de 2016

Papo cultural com Francisco Ucha e Álvaro de Moya


Encontro agradabilíssimo com Francisco Ucha e Álvaro de Moya em São Paulo hoje. Conversamos sobre cinema, música, televisão, e claro, quadrinhos. Entre folheadas no belo Almanaque do Tico-Tico de 1945 da sua coleção e outras na pasta de "antiguidades culturais" que levei especialmente para a ocasião, mestre Moya nos brindou com preciosidades saídas de sua memória privilegiada, como a lembrança de um artigo seu e de Syllas Roberg escrito para o jornal O Tempo em 1950 e que acabou saindo mais tarde em uma coletânea no exterior. Em sua mesa do escritório, uma foto de Paolo Serpieri, pai da Druuna, a quem chamou de "um grande amigo". Ele citou também outro grande amigo das antigas, Zaé Jr., companheiro dos tempos de Gazeta Juvenil que o visita com frequência até hoje. Já quando o assunto desviou para a antiga redação da Abril ainda na João Adolfo, centro de São Paulo, Moya relembrou que suas capas para o O Pato Donald foram todas feitas em 1952. E Ucha salientou que algumas ilustrações internas de Misterix ( já em 1953) são de Moya.
Isso é só um dedinho da prosa toda. Que venham outras como essa!

9 de março de 2016

Os que se foram em fevereiro de 2016

Maurice White (1941-2016 )

O Multi-instrumentista fundador e líder do Earth, Wind & Fire faleceu em 03/02, aos 74 anos. Antes de criar o grupo em 1969, ao lado do irmão Verdine, Maurice era um verdadeiro "rato" de estúdio em Chicago, gravando com vários artistas da Chess, principalmente na bateria - Little Milton e Ramsey Lewis foram alguns deles. O E,W&F atravessou a década de 70 e início dos 80 no topo das paradas, amealhando no percurso seis prêmios Grammy ( de 20 indicações). Graças em boa medida ao seu vocal característico e suas performances arrasadoras em estúdio e no palco. No início dos anos 90 foi diagnosticado com Parkinson ( embora já sentisse seus sintomas desde os anos 80) e aos poucos foi se afastando dos instrumentos e das gravações, até parar de vez com os shows em 1995. Permaneceu desde então cuidando dos negócios referentes ao Earth . Além de uma breve carreira solo paralela, foi também produtor de artistas como Barbra Streisand e Cher e compôs sucessos para outros artistas - o hit Best of my Love do The Emotions, de 1977, é dele. Um artista versátil e múltiplo que vai ficar nas mentes e ouvidos dos que cultuam a black music clássica.

Umberto Eco (1932-2016)


Escritor, semiólogo, pesquisador, filósofo, linguista e bibliófilo italiano, Eco foi titular por muitos anos da cadeira de semiótica - e por algum tempo diretor - da Escola Superior de Ciências Humanas da Universidade de Bolonha, além de lecionar em ocasiões esparsas em Yale, Columbia, Harvard, College de France e Universidade de Toronto. Um intelectual nato, colheu fama internacional depois que seus artigos e livros ganharam o mundo. Na imprensa, escreveu sobre tudo, mas principalmente sobre comunicação de massa ( quadrinhos inclusive). Seus romances O Nome da Rosa e O Pêndulo de Foucault viraram best-sellers, traduzidos por todo o Globo.


Harper Lee (1926-2016)

http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2016/02/harper-lee-morre-aos-89-anos-diz-site.html


George Kennedy (1925-2016)

http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2016/02/1744894-morre-george-kennedy-ator-famoso-por-viver-machoes-em-hollywood.shtml

Chico Rey (1952-2016)

http://noticias.bol.uol.com.br/ultimas-noticias/entretenimento/2016/02/26/morre-o-cantor-chico-rey-da-dupla-chico-rey--parana.htm


George Gaynes (1917-2016)

http://g1.globo.com/pop-arte/cinema/noticia/2016/02/george-gaynes-ator-de-loucademia-de-policia-morre-aos-98-anos.html


Regina Reis (1946-2016)

http://divirta-se.uai.com.br/app/noticia/arte-e-livros/2016/02/29/noticia_arte_e_livros,177581/ultimo-adeus-a-regina-reis-mineira-que-dedicou-50-anos-a-dramaturgia.shtml


Tony Burton (1937-2016)

http://oglobo.globo.com/cultura/filmes/morre-tony-burton-treinador-de-apollo-creed-da-serie-de-filmes-rocky-18754414


Mestre Trambique (1945-2016)

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/musica/noticia/2016/02/morre-o-musico-jose-belmiro-lima-o-mestre-trambique-da-vila-isabel.html


Julia Miranda (1939-2016)

http://www.jornalcruzeiro.com.br/materia/681831/atriz-julia-miranda-morre-aos-76-anos-em-sp


Vanity ( 1958-2016)

http://rollingstone.uol.com.br/noticia/morre-cantora-e-atriz-vanity-colaboradora-de-prince-aos-57-anos/


João Madson ( 1953-2016)

http://imirante.com/mirantefm/noticias/2016/02/16/morreu-aos-62-anos-em-sp-o-musico-maranhense-joao-madson.shtml


Maria Luisa Alcalá ( 1943-2016)

http://ego.globo.com/famosos/noticia/2016/02/morre-maria-luisa-alcala-malu-do-chaves-aos-72-anos-diz-site.html


4 de março de 2016

Previews da Graphic MSP Papa Capim - Noite Branca

Mais uma tarde de sexta movimentada graças aos novos previews que o Sidney Sidão Gusman soltou na página especial do evento no FB. A bola da vez é a nova graphic novel MSP, com previsão para abril, e que traz o personagem indígena Papa Capim às voltas com um mistério tenebroso que assola sua tribo. Segundo o editor, é a primeira graphic com foco no terror, além é claro, por ter um personagem genuinamente índio como protagonista, ter sequências voltadas para a natureza selvagem brasileira. Mas o foco mesmo é a espiritualidade  e as forças ocultas por trás dos rituais e tradições da tribo, com destaque para a figura onipresente do pajé. As imagens selecionadas - essencialmente realistas - tem a assinatura de Renato Guedes e a história saiu da cabeça de Marcela Godoy. Mais um produto editado pelo vivaz Sidão que promete!










Texto especial para a edição, assinado por Marcelo Campos

Um besouro verde

Hoje de manhã, enquanto se armava na TV um fuzuê em torno das investigações e consequente depoimento à Polícia Federal do ex-presidente Lula, um besouro verde faceiro corria despreocupadamente o chão de ladrilhos do meu quintal, totalmente indiferente à crise política nacional.
(obs: pensando bem, esse dito besouro parece um percevejo de jardim, mas como não sou especialista, deixo aberto para quem souber especificar melhor a espécie)

3 de março de 2016

Banda Fenícios e seu Rock Marítimo na Rádio Sônica e no Espaço Gambalaia


O inquieto Leo Engelmann deu a dica e com muita honra cá estou a divulgar. O baterista/tecladista Sergio Facci passou pela Rádio Sônica e mandou seu recado, apresentando a banda de 7 músicos - entre eles chapas lendários que eu conheço desde muito novo, como Marcos Canavese e Marco Polo Pan - e lembrando que no dia 12/03 vai rolar show no espaço Gambalaia em Santo André ( endereço acima). A banda, já com quase três décadas de existência - batizou seu som de "Rock Marítimo" e o que se houve é um rock and roll sem vestígios de marola, com muito punch, energia e entrosamento. Ouçam a Fenícios Banda Quem nas ondas da Sônica ( no link abaixo, em matéria assinada pelo Leo no blog da Feira Livre do Vinil) e divulguem para os amigos, pois no dia 12, eles vão mostrar ao vivo porque o palco é a verdadeira praia deles.

http://feiralivredovinil.blogspot.com.br/2016/03/fenicios-desembarcam-com-seu-rock.html

2 de março de 2016

Rolling Stones no Brasil. Dá-lhe Youtube!


Vou carregar minha paixão pelos Rolling Stones para o túmulo, tenham certeza disso. Em vida, gostaria de acompanhá-los em todas as oportunidades disponíveis, mas nem sempre conseguimos concretizar tudo o que desejamos. Fui nos antológicos shows de 1995 e 1997 mas infelizmente furei no gigantesco e histórico "show na praia" em 2006 e agora, 10 anos depois, mais uma vez me vi enroscado em pormenores cotidianos ( grana, em outras palavras) que me impossibilitaram ver mais uma vez ao vivo essa incrível banda. Lá se vão 54 anos de existência e os Stones continuam agitando, divertindo, dando corpo, sangue e alma no palco e transformando o rock and roll em algo sólido, fervente, inebriante. Com a tecnologia atual, muitos vídeos disponibilizados no Youtube dão uma boa ideia de como foram os shows no Rio e em São Paulo ( hoje tem em Porto Alegre), incluindo um muito bem produzido com lances da turnê na América Latina e íntegra do show no Maracanã no dia 20/02 ( com o minutos das músicas devidamente incluídos!). Na falta de corpo presente, já assisti na rede a tudo que tenho direito. Dá-lhe Stones! E obrigado, galera do Youtube!

https://www.youtube.com/watch?v=pKAzNw-8ix0

https://www.youtube.com/watch?v=rbvZFRNfr78

https://www.youtube.com/watch?v=WVve-iOuswM

https://www.youtube.com/watch?v=dlg1peI4Umw

https://www.youtube.com/watch?v=OFwXy_A-80g ( full Maracanã 20/02)

"Contatos: os atletas, a torcida e o artista", no Sesc São Caetano


Muito peculiar essa exposição do Sesc que me chegou pelo correio via cartão postal de divulgação (acima). O conjunto exposto chama-se "Contatos: os atletas, a torcida e o artista" e o artista responsável, Sérgio Merli, apresenta em ilustrações inspiradas em modalidades de contato, como boxe, caratê e luta olímpica, uma gama de elementos visuais tanto em mídias menores, como cartão, até externas como outdoor e também na própria ambientação da unidade do Sesc São Caetano. O projeto faz parte das ações para a programação do Sesc Verão 2016. A visitação é até 31/03, das 9h às 21h30 na semana e aos sábados, das 9h às 17h30. O Outdoor citado fica na Avenida Guido Aliberti, na rotatória da Praça Mauá ( em frente à universidade de mesmo nome). Já a unidade do Sesc na cidade está situada na Rua Piauí, 554.

1 de março de 2016

Filmes sobre juventude selecionados por João Antonio Buhrer no MIS Campinas


Em mais um interessante ciclo no MIS Campinas, João Antônio Buhrer abre os arquivos de sua vasta bagagem cultural cinematográfica para selecionar cinco filmes que representam de algum modo a juventude, e consequentemente seus sonhos, visões e escolhas. Dessa série, o que mais assisti foi "Marcelo, Zona Sul" com o jovem, bem jovem Stepan Nercessian, principalmente na época em que o filme passava com frequência nas noites da TV Record nos anos 80. "Deu Pra Ti, Anos 1970", rodado em Super 8 é pra mim o melhor da seleção: eu tenho queda por filmes de "turma" e essa produção atinge em cheio essa transição mágica/trágica entre a infância e adolescência, trazendo de roldão medos, paixões e descobertas , tudo muito bem embalado em trilha fantástica de uma geração que despontou aí ( Nei Lisboa, Julio Remy, Augusto Licks, Carlos Gerbase...). "Amante Muito Louca" eu assisti na época do "Sala Especial" na TV e traz toda aquela movimentação estabanada e erotizada típica das produções de pornochanchada, mas com um conteúdo comportamental sutil permeando todo o enredo. Já "Todas as Mulheres do Mundo", o mais antigo entre os cinco ( 1966), clássico de Domingos de Oliveira com Leila Diniz ( com quem o diretor foi casado) e Paulo José como protagonistas, é daqueles filmes em que tudo dá certo: produção, roteiro, elenco, fotografia, direção. Realmente uma película de destaque em nossa filmografia. O único que eu não conheço - e pretendo conhecer - é o "André, a Cara e a Coragem", dos anos 80, mas a se basear na eclética e bem elaborada seleção do amigo Buhrer, há de ser mais uma produção digna de nota. O ciclo começa no dia 07/03 e fecha dia 15/03 ( acompanhem os horários no quadro acima), no MIS Campinas ( endereço e telefone no final do release). Imperdível!