22 de janeiro de 2010

Tesouro escondido de Minas: Eustáquio Sena


Eustáquio Sena. Até uma semana atrás, não conhecia este nome. Mas quando tive acesso a vários (vários mesmo - praticamente todos) discos originais das novelas da Globo nos anos 70, a época mais fértil e experimental da Som Livre, logo notei este nome que insistia em aparecer em diversos discos iniciais da gravadora global. Cacoete automático: fui pesquisar. Descobri que ele foi muito atuante entre o final dos anos 60 e o meio dos 70, como produtor e compositor da Som Livre. E que embora tenha sido o produtor de um dos maiores discos da MPB de todos os tempos, o Acabou Chorare, dos Novos Baianos (1972), tenha composto para muita gente no período e gravado LPs e compactos até os anos 80, não houve sensatez ou ímpeto de atualizar sua biografia na internet e nem pesquisar ou se aprofundar um pouquinho mais, como eu fiz agora, para escrever estas linhas. Admiro muito o dicionário digital de MPB do Cravo Albin, uma referência inconteste, mas alguns ítens do site estão defasados e assim permanecem. Eustáquio Sena, compositor do Vale do Jequitinhonha, aparece lá como produtor da Som Livre, tem o seu trabalho no clássico Acabou Chorare citado, assim como o aplaudido LP de 1982, Cauromi, mas faltou contar que ele fez diversas canções para novelas, participou de festival, lançou um segundo LP ainda nos anos 80 e antes da Som Livre foi produtor na Elenco (veja lista abaixo). Todos esses detalhes eu recolhi na internet, mas são citações, retalhos, pescados - não há matéria focando o compositor mineiro, quiçá entrevista. No máximo, linhas sobre o Cauromi. Entre investigações e clicadas na web, pude fazer um pequeno painel de sua carreira - passível de correção ou acréscimo, pois muitas descobertas tiveram uma só fonte e certamente há lacunas:
* Eustáquio Sena nasceu na região do Vale do Jequitinhonha, Minas Gerais.
* Em 1964 consta pela primeira vez nos créditos de um disco: no raro Samba na Onda de Miguel Angel, como participante do coro.
* Participou do I Festival de Música Popular Brasileira, em 1968, com a música Abandono.
* A sua primeira gravação aparece num compacto do festival, junto a outras músicas que não fizeram parte do LP oficial.
* Teve três músicas gravadas pelo cantor Paulo Sérgio em 1969: Minha Madrinha (c/Paulo Sérgio), Vou Pedir Outra Vez e Você Não é Como eu Quis. (fonte: webSite oficial do compositor Paulo Sérgio). O xaxado Minha Madrinha fez muito sucesso na época.
* Dirige a produção de um dos mais importantes discos de nossa MPB: o engajado e belo Deixa Estar do MPB-4, em 1970, pelo selo Elenco. (Fonte: A Historia da MPB/Luiz Américo).
* Irmãos Coragem, no mesmo ano, é a primeira novela da Globo com uma música sua na trilha: Amor Maior. Outra novela do mesmo ano, Assim na Terra como no Céu tem em sua trilha a composição de Eustáquio, Que Sonhos são os Meus?, com interpretação de Milton Santana.
* Participa do psicodélico disco de Ronnie Von de 1970, Minha Máquina Voadora, com a composição Cidade ( em parceria com Paulinho Tapajós)
* A sua música Eu Nunca Pensava entrou no disco de maior sucesso do intérprete Evaldo Braga, "O Ídolo Negro", de 1971(Fonte: Site Memória da MPB)
*Outra música em outro disco de sucesso no mesmo ano: A Minha Madrugada ( c/ Carlos Odilon e Jair Rodrigues) no LP da Philips Festa Para um Rei Negro, de Jair Rodrigues.
* Fechando 1971, os Originais do Samba gravam Mas que Menininha ( Eustaquio Sena- A.Soares) em seu disco Samba Exportação.
* O tema de abertura da novela Bicho do Mato ( Rede Globo, 1972), a música homônima Bicho do Mato, de sua autoria, trazia versos como: “Não sou potro que se doma/ não sou vara que se vergue/ não sou fruta que se coma/ não sou flor bela que cheira/ não sou água que se beba/ não sou vento sem poeira/ não sou cobra sem peçonha/ não sou planta sem espinho/ eu sou muito sem vergonha/ sem amor e sem carinho/ não sou milho de pamonha/ nem canto de passarinho/ (...) Ê, bicho-do-mato/ tu me bate e eu te rebato!” ( fonte: Memória Globo).
* Ainda em 1972, fez relativo sucesso com a música Mariana, na trilha da novela O Primeiro Amor (trilha com composições de Antonio Carlos e Jocafi). Interpretou ao lado de Angela Valle, Simone de Marcos e Paulo Sérgio Valle na trilha da novela Selva de Pedra. E ao lado do experiente Aloysio de Oliveira, produziu a trilha da novela Carinhoso, que teve grande repercussão.
* A sua música Quem me Dera entra no disco de 1972 de Leno & Lílian.
*O ano de 1972 também viu a sua participação em mais um disco de festival: cantando "Cabeça" de Walter Franco e o sucesso de Sérgio Sampaio "Eu Quero é Botar meu Bloco na Rua", ambas finalistas do VII Festival Internacional da MPB (FIC). E o lançamento de um compacto simples (Som Livre) com as músicas Amém/ Nem de Mim Eu Sei.
* Para a novela Cavalo de Aço no ano seguinte, mais uma que também produziu, Eustáquio colaborou com a música "Um Sol na Noite". A trilha da novela O Bofe, só com composições de Erasmo e Roberto, também teve a sua produção. Nela, participou como intérprete na música Perdido no Mundo.
* 1973 foi o ano do lançamento da trilha sonora do programa Chico City, com composições de Arnauld Rodrigues e Chico Anysio. Eustáquio interpreta a canção Testamenteiro.
* A trilha sonora da novela Os Ossos do Barão, de 1974, inclui E Tem Mais, de sua autoria. Outras duas novelas do ano, incluíram músicas suas: em Corrida do Ouro, a música Laranja da Terra e em SuperManoela, com Oi, Lá.
* A trilha da novela Fogo Sobre Terra com composições de Toquinho e Vinicius tem a produção sua em parceria com João Mello e participação na faixa Divinéia como intérprete.
* Produz o primeiro disco solo de Alceu Valença, em 1974: Molhado de Suór, pela Som Livre (Site Oficial de Alceu Valença).
* Neste mesmo ano, lança pela Som Livre o compacto simples Simples Estória. E faz a produção da ótima trilha sonora da novela Cuca Legal lançada em LP pela Som Livre.
* Participa em 1980 da faixa Pra Você Gostar de Mim, de Vital Farias, em seu LP Taperoá. Um clássico instantâneo.
* Lança o melhor disco de sua carreira e talvez um dos melhores discos da música mineira: Cauromi, também em 80, pela Epic. As faixas: Cauromi (Terra do Nunca) - Ringo (Um Bandoleiro Qualquer) - Amor Cigano - Pelo Chão Que é Seu - Como Se Fosse Mágica - Posso Te Morder - Todo Amável - Conte Uma Estória Prá Mim - Laço de Fita - Esses Meninos (Êh!Gente Perigosa) - Olhar Profundo - Prá Repousar. Além da participação especialíssima de Zé Ramalho na faixa-título, participam da obra feras como Robertinho do Recife, Jorge Mautner, Chico Batera, Paulo Braga, Jamil Joanes, Manduka, Lincoln Olivetti e Róbson Jorge, entre outros.
* Lança o LP Brasil Riqueza em 1983, pela RCA Victor, com as músicas: Vamos Ver como é que Fica (Uirapuru) - Morena - Flor de Laranjeira - Dez Mil Anos Luz - Maxacalis - Brasil Riqueza - Muito Prazer - Remanso - Terra dos Homens - Valsinha (Bem Mais Amor).
* Foi parceiro musical de Eduardo Araújo nas músicas A Aventura Não Termina ( no CD Pegadas, 1994 ) , Chora, chora, coração e Nada Valeu te Amar (LP Pé na Estrada, 1990)
* Tem sua música Reggae Bom gravada por Oswaldinho em lançamento do selo Kuarup.
* Participa do Projeto Nosso Canto Vale Mais Jequitinhonha, um kit fonográfico/biográfico composto de DVD, CD-ROM e revista , aprovado pelo Fundo Cultural do Estado de MG em 2007, com 40 artistas da região. (fonte: Vale Mais.org)
*Falece em abril de 2007 (citação em O Tempo/MG - 07/05/2007).
Pois é, deixei esta pro final. Ele faleceu e eu não vi nenhuma linha sobre o ocorrido. Para o Dicionário Cravo Albin, ele está vivo.
Finco aqui portanto, esta homenagem ao compositor mineiro: uma matéria inteira a seu respeito, com começo, meio e fim.

(Atualização: esse post, em janeiro de 2016, já passa das 1500 visualizações, além de vários comentários oportunos. Todas as músicas lembradas nos comentários são acrescentadas no texto depois de serem pesquisadas. Agradeço imensamente todas as intervenções e lembranças que fazem o post ficar cada vez mais completo!)

22 comentários:

  1. O LP Cauromi do Eustáquio Sena é um dos melhores já produzidos em todos os
    tempos - talvez só perca para o primeiro disco dos Secos & Molhados...

    Se alguém quiser trocar idéias sobre música, arte, ou qualquer
    outro assunto, é só me escrever.

    Celso Afonso Brum Sagastume
    E-Mail: celsoabs@plugnet.psi.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OLA CELSO, POSTEI UM BELO TRABALHO DO EUSTAQUIO NO MEU BLOG cantosagradodaterra2.blogspot.com O DISCO BRASIL RIQUEZA.
      ABS
      DANIEL

      Excluir
    2. SAIU EM 1972 UM COMPACTO SIMPLES SOM LIVRE BRASIL AMEM/ NEM DE MIM EU SEI.

      Excluir
    3. Obrigado por participar, Duval. Sua informação já foi adicionada ao texto. abs

      Excluir
  2. Valeu Celso! espero contar com sua intervenção por aqui mais vezes. E se tiver mais informações sobre o Eustáquio, por favor, me repasse, pois a intenção é fazer um segundo post atualizado sobre ele.
    abraço

    ResponderExcluir
  3. Obrigado Marcos Massolini pela justa lembrança e homenagem.
    Assim como Celso Afonso, tenho Eustáquio Sena como dos maiores músicos brasileiros. Estava sempre acompanhado ou acompanhando os maiores nomes das décadas de 60, 70 e 80.
    Muito vim saber agora através de você. Lembro que a música Jabotigrama do Sitio do Pica Pau Amarelo também era dele.
    Foi o precursor da música no Vale do Jequitinhonha. Depois dele vieram: Paulinho Pedra Azul, Tadeu Franco, Rubinho do Vale e outros.
    A última vez que me encontrei com ele foi em 1989. Trabalhava na CODEVALE e nos ajudou na realização de um Seminário Ecológico em Defesa do Rio Jequitinhonha na cidade de Coronel Murta. Lá ele cantou e tocou numa noite inesquecível às margens do rio.
    Para o cartaz do Seminário escreveu algo mais ou menos assim: "...que povo é esse querendo matar a força do rio daquele lugar, que ódio é esse querendo enganar, a minha memória e me deserdar..”
    Saudades de Eustáquio...

    ResponderExcluir
  4. Valeu pelas lembranças Emerson! tenho certeza que ele marcou muita gente por sua dinâmica, cooperação e desprendimento.
    Espero contar com outras participações suas por aqui.

    ResponderExcluir
  5. Eustáquio era meu tio-avô e meu padrinho. Depois de todo esses sucesso ele passou a compor jingles para campanhas eleitorais. Ele infelizmente faleceu de cancêr após lutar muito contra a doença.
    Muito bom ver que ainda hoje tem gente se lembrando da obra dele, onde quer que ele esteja deve estar muito feliz.
    Muito obrigada por me dar informações que nem ele mesmo nunca me contou, afinal em 2007 eu ainda era muito nova pra ter paciência de conversar sobre essas coisas.
    Beijos, Leticia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Letícia, só hoje, 19/09/14, tomei conhecimento da morte do Eustáquio. Nasci também em Jequitinhonha ( o pessoal só se refere ao Vale do Jequitinhonha, sem mencionar a nossa querida cidade ); tenho dois long plays dele. Lembro-me bem de andar na garupa da bicicleta dele em Jequitinhonha. Eu era criança. As músicas dos seus dois long plays são maravilhosas, notadamente "Cauromi", na qual ele se refere a algumas pessoas da nossa Jequitinhonha. Lamentável a sua morte.

      Excluir
    2. Oi Letícia, lembro-me de Eustáquio e Flavio, irmão mais novo. Por onde anda o irmão?

      Excluir
  6. Leticia,
    Fiquei muito lisonjeado pela sua visita e comentário. E feliz por ter conseguido passar informações adicionais a uma integrante da família desse grande artista. Valeu!
    bj

    ResponderExcluir
  7. Ontem, de repente, me lembrei de Mariana, da novela. Pesquisando, descobri que é dele Oi, lá. Aí, vc conta que é da novela Supermanoela e acho que tenho o disco. Desconfio que é dele uma linda canção, de que só me lembro: "Pode acreditar, viu? Pode acreditar... "

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Vaccavo. Me conta depois se a música era realmente essa...
      abraço e valeu a visita.

      Excluir
  8. Obrigado, Ataliba, pela visita e comentário. E parabéns por ter nascido em terra tão fértil para a nossa cultura. abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OLA MARCOS, POSTEI UM TEXTO REFERENTE A EUSTÁQUIO RETIRADO DO SEU BLOG,
      POSTEI UM BELO DISCO DELE MAS NÃO TINHA NENHUMA INFORMAÇÃO DELE NA NET DA SUA ALTURA. SE VC NÃO CONCORDAR IREI RETIRAR.
      DESDE DE JÁ AGRADEÇO A CONTRIBUIÇÃO.
      DANIEL
      canto sagradodaterra2.blogspot.com

      Excluir
    2. Olá, Anderson! sem problemas...você citou a fonte e pra mim é suficiente. Parabéns por compartilhar esse disco essencial. abs

      Excluir
  9. Sempre curti suas músicas nas antigas trilhas de novelas. Mas não sabia nada sobre ele. Valeu, cara!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, o intuito foi esse mesmo: informar o máximo possível sobre o compositor. Abraço!

      Excluir
  10. Que bom! Minha escola homenageara esse grande compositor . Sera uma linda festa sobre o Jequitinhonha. Qq informaçao serå importante ! Obrigada

    ResponderExcluir
  11. Preciso muito saber sobre "Cauromi" se ele inventou a expressāo ou se realmente significa Terra do nunca ( em outra lingua)...entre outros dados como data de nascimento ... obrigada Marcos pelo espaço !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nete! Formidável essa sua iniciativa! depois conte aqui como foi a homenagem. Infelizmente não tenho nenhuma informação adicional, mas olhe aqui mesmo nos comentários anteriores, pois alguém que conviveu com ele pode ter essas informações. Boa sorte!

      Excluir
    2. E se quiser utilizar o texto do blog na íntegra, fique à vontade.

      Excluir